Mostrar mensagens com a etiqueta Editorial Presença. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Editorial Presença. Mostrar todas as mensagens

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Maya, O Romance da Criação

By the way... referindo outro livro do autor da obra O Mistério do Jogo das Paciências, o livro Maya, O Romance da Criação, é deveras interessante. 
Poderia referir tantas coisas sobre este livro, contudo não o farei, pois a sua beleza assenta precisamente na descoberta de enigmas, coincidências e caminhos distintos que misteriosamente se cruzam.
Lê, descobre e partilha!!! 



Coleção: Grandes Narrativas
Nº na Coleção: 134
Data 1ª Edição: 05/05/2001
Nº de Edição: 3ª
ISBN: 972-23-2737-2
Nº de Páginas: 360


[Sinopse: Tomando como ponto de partida a posição actual da Humanidade face à chegada do novo milénio, Gaarder agarra várias linhas condutoras que nos fazem retroceder no tempo e embarcar numa viagem espacio-temporal até ao nascimento do Universo e ao princípio da criação. Simultaneamente, o autor desenvolve um cativante enredo, dotado de uma interminável criatividade, apenas igualável a uma surpreendente e misteriosa caixa chinesa: «Maya» é uma teia formada por vários fios narrativos, muito ao estilo inconfundível do autor de «O Mundo de Sofia». Através de factos históricos e puras fábulas, que se interligam de tal forma que nos parece quase impossível distinguir qual é qual, a narrativa apresentada em Maya supõe, desde as suas primeiras linhas, a revelação de um grande segredo. O enredo começa a tomar forma numa ilha paradisíaca, Taveuni, no arquipélago das Fiji, onde o acaso reúne um escritor inglês, um biólogo evolucionista norueguês e um casal cigano. Mas outros personagens, não menos interessantes, serão chamados a participar como a jovem Laura, uma esposa ausente, um viajante do tempo, um certo quadro de Goya que se encontra no Museu do Prado em Madrid e até mesmo um geco que, na ilha, costuma frequentar nocturnamente as paredes do quarto do biólogo e com ele mantém sapientíssimas conversas cheias de um delicioso e cortante humor. Como sempre, com Gaarder nada é o que parece ser e a leitura deste romance coloca questões quase alucinantes, viaja tão longe como a grande explosão primordial, visitando todo o percurso da evolução até à misteriosa natureza da consciência, criando mundos alternativos, relacionando factos e situações distantes no espaço e no tempo, explorando possibilidades estonteantes, criando enigmas sem aparente solução ou cuja solução está dentro de nós. No fim, esta narrativa resulta poderosa e plena de vitalidade, e Gaarder seduz e maravilha, sugerindo com o seu romance que, sejam quais forem as respostas, a vida é o milagre a celebrar.]

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

O Mistério do Jogo das Paciências

By The Way, para o meu primeiro post no Blog gostaria de vos contar qual é o livro da minha vida.
O Mistério do Jogo das Paciências de Jostein Gaarder, ano após ano permanece naquele cantinho das recordações, que nunca se desvanecem e nunca se perdem. Já o devo ter lido umas 15 vezes e mesmo assim dou por mim com vontade de o tirar novamente da prateleira. 
Não sei explicar o que me cativou, talvez o "jogo de coincidências" ou o desmembramento do vulgar –um baralho de cartas. É realmente incrível o que este autor nos consegue transmitir.
Aconselho, sem dúvida a lerem! 
    



Coleção: Grandes Narrativas
Nº na Coleção: 9
Data 1ª Edição: 21/05/1996
Nº de Edição: 4ª
ISBN: 978-972-23-2055-9

[Sinopse: Este livro foi galardoado com dois prémios literários na Noruega. Foi também o livro que, um ano mais tarde, o levaria a escrever o bestseller mundial «O Mundo de Sofia». Tudo se passa em torno de um rapazinho de doze anos que, com seu pai, viaja em busca do Ás de Copas, perdão, da mãe, que partira oito anos antes para a Grécia à procura de si mesma. Pelo caminho, pai e filho são desviados por um misterioso anão para uma aldeia perdida nos Alpes, onde um não menos misterioso padeiro entrega ao rapaz um livro minúsculo escondido dentro de um pão. A viagem real prossegue, em pararelo com o mundo de fantasia, e sucessivas coincidências criam aproximações que vão conferindo um significado inesperado ao desenrolar dos acontecimentos. Um livro que fascina de muitas maneiras, em especial pela forma como o autor constrói uma engenhosa representação do mundo a partir de um jogo de cartas.]